História em quadrinhos mostra a realidade de crianças e adolescentes que vivem com HIV/Aids

hivinho

O médico Francisco Micussi, especialista em infectologia infantil e pediatria, lançou, no dia 25 de novembro, o livro “Hivinho: uma história de vida”, através do qual mostra os desafios enfrentados por pessoas que vivem com HIV desde cedo.

Ele trabalha no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, há 27 anos, sendo os dez últimos dedicados ao ambulatório do SAE, o Serviço de Atendimento Especializado para pacientes soropositivos. Produzir a revista em quadrinhos é uma forma de incentivar as famílias a aderirem ao tratamento. O texto, narrado na primeira pessoa, é uma obra de ficção. No entanto, retrata a vida de muitas crianças e adolescentes que fazem parte do seu cotidiano profissional.

autorFrancisco Micussi

O enredo se desenvolve com os seguintes personagens: Hivinho, Dr. Mecoce, Tarvínia (namorada), mãe e avó, Hígida (irmã), Vernândia (psicóloga), Joseana (assistente social), crianças e jovens. Hivinho conta sua história desde o momento em que sua mãe chega à maternidade para o parto. Submetida a um exame HIV, o resultado deu positivo. Dado o descuido consigo mesma, aliado a determinadas dificuldades encontradas no serviço público de saúde, ela não havia feito o pré-natal.

A narrativa mostra os procedimentos de cuidados com a mãe e a criança ali, bem como a rotina que ambos passam a vivenciar. Chega o dia em que sua mãe vai a óbito, ficando o bebê sob os cuidados da avó. Esta, doente e cansada, não consegue cuidar devidamente do neto, fica sem levá-lo às consultas e esquece de dar os medicamentos.

O Dr. Mecoce fala da necessidade de alguém para ajudar a resolver o problema; caso contrário, iria fazer uma denúncia ao Conselho Tutelar. Entra em cena a irmã mais velha de Hivinho, Hígida. O tempo vai passando… Quando está com 7 anos, apesar dos cuidados que recebe da irmã, sente-se muito insatisfeito com a situação e apresenta resistência para tomar os medicamentos. A partir dos 8 anos, o médico passa a pressionar Hígida, a fim de preparar o menino para saber sobre sua doença. Próximo de completar 10, após alguns encontros com a psicóloga Vernândia, tem conhecimento do seu estado de saúde e do que levou sua mãe à morte. Na ocasião, fica sabendo também que seu pai, que não chegou a conhecer, morreu de Aids. Diante dessas revelações, passa a viver com fortes sensações: alívio, por conhecer a verdade; ao mesmo tempo, sente revolta, diante da pergunta que não quer calar: “por que logo comigo?”; tristeza, ao sentir medo da doença e da morte.

Revolta-se, deixa de tomar os medicamentos e falta às consultas. Meses depois, a assistente social Joseana e o médico pressionam Hígida, a fim de que o menino retorne ao tratamento. No momento da consulta, o Dr. Mecoce mostra que muitas crianças vivem o mesmo dilema e também muitos adultos. Explica que eles fazem tudo o que qualquer pessoa pode fazer, mas precisam se cuidar e ter amor próprio. A conversa o sensibiliza e ele passa a ter adesão ao tratamento. Um dos momentos mais marcantes da história é a festa surpresa preparada pela equipe do hospital, por ocasião do seu aniversário, contando com a presença de outras crianças que vivem  com HIV.

E chega o dia em que Hivinho, agora com 18 anos, após certa resistência, decide ir a um encontro com jovens portadores do vírus. Falam de suas vidas, compartilham experiências… Ele fica encantado com Tarvínia, uma linda jovem de 19 anos, que se torna sua primeira namorada e aumenta sua alegria de viver. O cenário onde ocorre o primeiro beijo é a praia de Ponta Negra. A partir daí, a narrativa vai se aproximando da parte final, com orientações do médico sobre relações sexuais. O casal faz planos para o futuro, estabelece o estudo como prioridade, se submete ao ENEM e aguarda o resultado…

O livro é apropriado para adolescentes. Tem uma tiragem inicial de 2.500 exemplares e pode ser adquirido no Hospital Giselda Trigueiro. Parte do valor arrecadado destina-se à realização de festas de aniversário das crianças como forma de celebrar a adesão ao tratamento. Além de Francisco Américo Micussi, participaram da realização deste projeto Kaline Sampaio de Araújo e Anderson Gomes do Nascimento.

Redação: AtoEscrito



FONTES

MICUSSE, Francisco A. Hivinho: uma história de vida. Natal, 2016.

Infectologista lança livro sobre tratamento de HIV em crianças e jovens. 27 out. 2016. Disponível em: http://www.caurn.com.br. Acesso em: 02 dez. 2016.

Imagens: divulgação

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *