Vicente Vitoriano apresenta seu novo trabalho: “Os fins da linha”.

De 2015 aos dias atuais, ele tem participado de mostras coletivas, mas na quinta-feira, dia 09, voltou a fazer exposição individual. Em sua maioria, as obras da série são dípticas, feitas em nanquim, aquarela e guache. Em algumas, mostram-se figuras como troncos e raízes; em outras, uma forma ovoide que se repete foi denominada “cápsulas de memória” e há desenhos de figuras humanas que o autor intitulou “livros”.

Vicente Vitoriano reside na capital potiguar, onde desenvolve atividades como professor universitário, crítico de arte, curador e pesquisador. Seus trabalhos de pesquisa voltam-se para a história da arte local, história da educação, os salões de arte (a partir de 1957) e aprendizagem artística autodidata.

Aos 63 anos, afirma não ter mais a desenvoltura de outros tempos, pois as condições de saúde dos olhos já não são as mesmas, nem a coordenação motora. No entanto, é muito crítico consigo mesmo e observa com rigor o processo de criação de suas obras, que resultaram de dedicação e afinidade desde cedo.

Quando criança, utilizava fotos dos candidatos do seu pai para praticar desenho. Teve o incentivo de Adelaide, irmã e também sua professora de alfabetização. Na adolescência, trabalhou com o pintor e estilista José Boulier, seu primeiro professor de arte, embora fora dos moldes de uma rotina sistematizada de aulas. Experimentou pintura a óleo, guache e lápis de cor e trabalhou com diversos tipos de artesanato ao lado do próprio Boulier e de Luiz Varela.

Aos 18 anos, descobriu a aquarela e tomou maior consciência de suas possibilidades como artista ao participar de uma mostra coletiva organizada pela Prefeitura de Mossoró, cidade onde nasceu. Em seguida, surgiu a oportunidade de fazer duas exposições em Natal, contando com o apoio do jornalista e poeta Franklin Jorge.

Em 1974, passou a morar nessa cidade, onde teve a oportunidade de frequentar a UFRN para estudar Arquitetura e Urbanismo, curso que concluiu em 1979 e que muito contribuiu com a sua formação artística, por aprender processos de criação decorrentes da metodologia do desenho e pelas informações que adquiriu sobre história da arte e estética.

Em 1977, foi o primeiro colocado no Concurso de Pintura Newton Navarro, promovido pela Fundação José Augusto. E foi a partir de 1980 que passou a se dedicar também às atividades de professor no Departamento de Artes da UFRN. Na mesma década, participou do Subgrupo de Teatro Mágico e do Grupo Nuvem Verde de Teatro Aberto. Com este, criou o grupo musical Gato Lúdico, atuante entre 1982 e 1987. Os livros “Os Vértices do Triângulo” (1985) e “A Falsa Simetria” (2002) expõem suas produções no campo da poesia.

Em anos mais recentes, tem se dedicado ao GUAP (Grupo Universitário de Aquarela e Pastel), projeto de extensão voltado para a produção artística. Após a exposição “Os fins da linha”, o artista estará preparando outra, com previsão para o mês de maio. Será pelo GUAP, onde atua como coordenador, em coletiva que terá como tema a Memória.

A mostra “Os fins da linha” pode ser vista até o dia 20 deste mês, na Galeria Conviv’Art, Centro de Convivência da UFRN, em Natal. Tem curadoria do próprio artista e conta com a colaboração de Elidete Alencar.

Trabalhos de outros profissionais serão apresentados ao público, no mesmo local, no decorrer de 2017. Foram selecionados pelo Núcleo de Arte e Cultura da universidade como parte da programação anual. São os seguintes: “Múltiplos”, de Leandro Garcia; “Entre Nós – Curvas”, de João Natal; “Metamorfose Urbana em Tempos Líquidos”, de Françoise Válery e Cibele Oliveira; “Cidades Gravadas”, de Artur Souza; e “A Poética da Dobra”, de Pâmela Reis.

Redação: AtoEscrito

IMAGENS: UFRN; angelafelipe.blogspot.com.br

REFERÊNCIAS

Arte RN. Projeto Artistas Atuantes no RN no Século XXI. [s. d.]. Disponível em: projetoartistasnorn.weebly.com. Acesso em: 12 mar. 2017.

Café História. Página de Vicente Vitoriano. [s. d.]. Disponível em: cafehistoria.ning.com. Acesso em: 11 mar. 2017.

RIBEIRO, Ramon. O diálogo entre linhas de Vicente Vitoriano. 07 mar. 2017. Disponível em: www.tribunadonorte.com.br. Acesso em: 10 mar. 2017.

VITORIANO, Vicente. Os fins da linha. 20 fev. 2017. Disponível em: http://nac.ufrn.br. Acesso em: 11 mar. 2017.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *